Sala 19

O blog de História de Fabiana Scoleso

  • Calendário

    janeiro 2017
    D S T Q Q S S
    « jul    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031  
  • Categorias

  • Twitter

  • Sala19 no Facebook

  • RSS Google News

    • Traficante mexicano 'El Chapo' é extraditado aos Estados Unidos - Globo.com
      Globo.comTraficante mexicano 'El Chapo' é extraditado aos Estados UnidosGlobo.comChefe do cartel de Sinaloa era requerido por tribunais do Texas e da Califórnia por acusações que incluem homicídio e narcotráfico. Por G1, em São Paulo. 19/01/2017 20h45 Atualizado há 1 hora. Imagem de 8 de janeiro mostra El Chapo com seu número ...México extradita El […]
    • Trump inicia atos de posse com homenagem ao soldado desconhecido - Globo.com
      Globo.comTrump inicia atos de posse com homenagem ao soldado desconhecidoGlobo.comAo lado de vice, ele depositou flores no Cemitério de Arlington, onde estão enterrados 400 mil soldados e o ex-presidente JFK. Cerimônia tradicional serve de abertura dos atos oficiais de posse. Facebook · Twitter ...Obama escolhe Merkel para última conversa por telefone com lí […]
    • Avalanche após terremoto atinge hotel e deixa mortos na Itália - Globo.com
      Globo.comAvalanche após terremoto atinge hotel e deixa mortos na ItáliaGlobo.comCerca de 30 pessoas estavam no hotel na cidade de Farindola, em Abruzzo, no momento do acidente. Três corpos foram retirados dos escombros. Facebook · Twitter. Por G1. 19/01/2017 06h26 Atualizado há 7 horas. Globo Player v0.2.64. ASSISTA AO ...Santista relata como foram os tremor […]
    • Sem esforço, Roma goleia Sampdoria por 4 a 0 e passa às quartas da Copa da Itália - Istoe
      Mais FutebolSem esforço, Roma goleia Sampdoria por 4 a 0 e passa às quartas da Copa da ItáliaIstoeA última das oito vagas às quartas de final da Copa da Itália foi garantida nesta quinta-feira. A Roma não precisou se esforçar muito para garanti-la ao golear a Sampdoria por 4 a 0, no estádio Olímpico, na capital italiana, em sua estreia na ...Mário Rui regres […]
  • RSS UOL Economia

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS Último Segundo – iG

    • A pedido da família, velório de Teori Zavascki deve acontecer em Porto Alegre
      iG São PauloMinistra Cármen Lúcia deve seguir vontade de familiares, mudando o velório da sede do Supremo para a capital gaúcha; Teori Zavascki estava no avião que caiu na tarde desta quinta-feira (19), em Paraty, com outras três pessoas Ministra Cármen Lúcia está bastante abalada com a confirmação da morte do ministro Teori, segundo assessoresFoto: STFO vel […]
    • Teori havia interrompido férias para analisar delações premiadas da Odebrecht
      iG São PauloRelator da Operação Lava Jato, Teori trabalhou em pelo menos dez dos 77 documentos de executivos que chegaram ao Supremo Tribunal FederalO ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, falecido em acidente de avião em Paraty nesta quinta-feira (19), estava trabalhando no período de recesso para analisar os acordos de delação premiad […]
    • Empresário, dono de avião também é vítima do acidente que matou ministro do STF
      iG São PauloAlém do empresário Carlos Alberto Figueiras, havia mais três pessoas a bordo do bimotor, entre elas o ministro do STF, Teori Zavascki, de quem era "amigo próximo"; Grupo Emiliano divulgou nota em que lamenta as mortesO empresário Carlos Alberto Filgueiras, de 69 anos, proprietário do Grupo Emiliano, foi uma das vítimas do acidente com o […]
    • Crise carcerária no Brasil: presídio de Santa Catarina tem dez detentos feridos
      iG São PauloRebelião durou cerca de uma hora e foi controlada pela equipe de agentes penitenciários especializada em intervenção prisional, com o auxílio da PM Santa Catarina: detentos do Presídio Regional de Lages queimaram colchões, mas o fogo foi contido pelos bombeirosFoto: Divulgação/ DeapDetentos do Presídio Regional de Lages, em Santa Catarina, começa […]
  • RSS UNICAMP

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS BBC Brasil

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Posts Tagged ‘escravismo colonial’

Economia Colonial Portuguesa

Posted by sala19cmi em segunda-feira, 2 abril 2012

O Brasil era uma colônia de exploração, dentro do antigo sistema colonial, é um Sistema de relações econômicas, políticas, sociais e culturais que tornam dependente uma colônia em relação à outra metrópole.

Presume-se assim a perda de uma liberdade administrativa de territórios colonizados, sob posse militar. (Nesse sentido, o colonialismo se apresenta como um fenômeno resultante da revolução Comercial europeia que aconteceu entre os séculos XV e XVI), que atingiu o seu mais alto grau no século XIX, sendo assim prolongada até os anos à Segunda guerra Mundial.

A grande propriedade monocultura:

A monocultura é um sistema de exploração agrícola, que chamamos de produção ou cultura agrícola de apenas um tipo de produto. Ela está associada aos latifúndios, grandes extensões de terras. A grande propriedade era monocultora e voltada para o mercado externo, utilizando mão-de-obra escrava, no inicio com os índios e, posteriormente, os negros africanos.

A sociedade açucareira que se organizou era o reflexo da economia agrária, escravista, por que no engenho, tinham poucos trabalhadores assalariados, estes se submetiam as ordens e influência do grande proprietário.

Como sabemos, os escravos viviam em senzalas, que eram lugares de um só compartimente, todos misturados, homens, mulheres e crianças. Os escravos ficavam responsáveis por todos os trabalhos braçais, como por exemplo nos canaviais, casa grande. Eles tiveram uma grande influência no trabalho agrícola.

O escravismo colonial:

A escravidão foi utilizada para que pudessem se organizar economicamente, como já vimos antes. Existiam dois tipos de escravidão: a vermelha (dos índios) e a escravidão africana.

Nessa época não poderia ir contra o sistema de escravidão, pois eram reprimidos de forma violenta, mas os próprios negros, não se calavam, mesmo sofrendo, sendo chicoteados, vivendo uma realidade opressiva, lutavam contra e tentavam a liberdade a todo custo, a maios prova disso foram as criações de quilombos, onde abrigava escravos fugitivos.

Mas os jesuítas eram contra a escravidão indígena, o que durante um tempo não adiantou muito por que os colonos além da escravidão africana queriam os índios como mão-de-obra por terem menos custos que a escravidão africana. Mas foi em 1759 quando um decreto pombalino aboliu a escravidão.

O escravo na economia brasileira:

O escravismo chegou ao Brasil por volta de 1531 com a expedição de Martim Afonso de Sousa, que foi desde o período colonial até o final do império. A escravidão no Brasil foi marcada pelo uso de escravos vindos do continente Africano, sempre lembrando que alguns indígenas também sofreram com a escravatura.

Os escravos trabalhavam na agricultura, com foco na parte açucareira, e na mineração. Contribuíam com a economia tanto do país, quanto dos senhores de engenho, donos de terras, por que eram mãos de obras onde também usavam da permuta, eles trabalhavam e em troca recebiam moradia e alimentação, mas não tinham um horário em sua jornada de trabalho.

Os estados onde os escravos tiveram grande enfoque foram: São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Alagoas, Sergipe e Bahia.

O Tráfico de escravos:

A África era vista como reserva de mão-de-obra escrava, a serem tirados de sua nação e exportados para vários países.

Durante os primeiros quatro séculos – do século 15 à metade do 19 – de contato dos navegantes europeus com o Continente Negro, a África foi vista apenas como uma grande reserva de mão-de-obra escrava, a “madeira de ébano” a ser extraída e exportada pelos comerciantes. Traficantes de quase todas as nacionalidades montaram feitorias nas costas da África.

As simples incursões piratas que visavam inicialmente atacar de surpresa do litoral e apresar o maior número possível de gente foram dando lugar a um processo mais elaborado.

Os mercadores europeus, com o crescer da procura por mão-de-obra escrava, motivada pela instalação de colônias agrícolas na América, associaram-se militarmente e financeiramente com sobas e régulos africanos, que viviam nas costas marítimas, dando-lhes armas, pólvora e cavalos para que afirmasse sua autoridade numa extensão a maior possível.

Os prisioneiros das guerras tribais eram encarcerados em “barracões”, em armazéns costeiros, onde ficavam a espera da chegada dos navios tumbeiros ou negreiros que os levariam como carga humana pelas rotas transatlânticas.

Os principais pontos de abastecimento de escravos, pelos menos entre os séculos 17 e 18 eram o Senegal, Gâmbia a Costa do Ouro e a Costa dos Escravos. O delta do Negar, o Congo e Angola serão grandes exportadores nos séculos 18 e 19.

Quantos escravos foram afinal transportados pelo Atlântico? Há muita divergência entre os historiadores, alguns chegaram a projetar 50 milhões, mas Rua Certe (in Te Atlântica cave tarde: A cenhos, 1969) estima entre 9 a 10 milhões, a metade deles da África Ocidental, sendo que o apogeu do tráfico ocorreu entre 1750 a 1820, quando os traficantes carregaram em média uns 60 mil por ano.

O tráfico foi o principal responsável pelo vazio demográfico que acometeu a África no século 19.

A dinâmica da economia colonial:

Na dinâmica colonial chamada de produto rei, períodos ou fases. Neta época existia ciclos econômicos, o que na verdade não corresponde à das economias a dos tempos coloniais.

FONTE: http://www.colegioweb.com.br

Posted in 2º Ano E.M. | Etiquetado: , , , , | Leave a Comment »