Sala 19

O blog de História de Fabiana Scoleso

  • Calendário

    setembro 2012
    D S T Q Q S S
    « ago   out »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • Categorias

  • Twitter

  • Sala19 no Facebook

  • RSS Google News

    • "Álvaro Cunhal apoiaria a atual solução política" - Diário de Notícias - Lisboa
      Diário de Notícias - Lisboa"Álvaro Cunhal apoiaria a atual solução política"Diário de Notícias - LisboaAlbano Nunes, em entrevista ao DN, diz que o acordo com o PS é positivo para o povo. Acabou de vir de Cuba, onde assistiu às cerimónias fúnebres do antigo presidente. Fidel de Castro continua a inspirar o PCP? O que vi no grande comício, com mais […]
    • Número de mortos em incêndio durante festa na Califórnia pode chegar a 40 - Globo.com
      Globo.comNúmero de mortos em incêndio durante festa na Califórnia pode chegar a 40Globo.comAté 100 pessoas estavam em armazém transformado em coletivo de artistas. Mudanças na estrutura dificultaram fuga; vítimas tinham entre 20 e 30 anos. Número de mortos em incêndio durante festa na Califórnia pode chegar a 40. Facebook · Twitter ...Nove morrem e muitos se […]
    • Por que a conversa de Donald Trump com a presidente do Taiwan já gerou um conflito diplomático? - Globo.com
      Globo.comPor que a conversa de Donald Trump com a presidente do Taiwan já gerou um conflito diplomático?Globo.comTsai Ing-wen ligou para Trump parabenizando-o por ter vencido a eleição nos EUA, mas a conversa já gerou más impressões para o governo chinês, que não reconhece a independência da região. Facebook · Twitter ...Representantes de Trump negam planos […]
    • Referendo na Itália pode ser início do fim da zona do euro - Terra Brasil
      UOLReferendo na Itália pode ser início do fim da zona do euroTerra BrasilMercados financeiros aguardam com apreensão resultado da consulta popular sobre reforma constitucional italiana. Paira a ameaça de um voto de protesto que colocaria em risco a moeda comum europeia.Depois que os britânicos votaram pelo Brexit, ...“Já não entendo o mundo”: a Europa na era […]
  • RSS UOL Economia

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS Último Segundo – iG

    • Com 30 milhões de pessoas ou trilha sonora própria: os maiores funerais do mundo
      iG São PauloO funeral do cubano Fidel Castro acontece neste domingo (4) e deve reunir milhares de admiradores e líderes políticos, incluindo Lula e DilmaMorto aos 90 anos na sexta-feira (25), o líder cubano, Fidel Castro, reuniu admiradores que devem fazer de seu funeral no próximo domingo (4) um dos maiores do mundo. Já confirmaram presença na cerimônia div […]
    • Concurso da Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 6 milhões na quarta-feira
      iG São PauloMesmo sem nenhum ganhador no prêmio principal, 25 sortudos levaram cada R$ 64 mil na quina, além de 3 mil apostadores que acertaram a quadra A aposta simples do concurso da Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita em qualquer uma das 13 mil lotérica do PaísFoto: Rafael Neddermeyer/ Fotos PúblicasA Caixa Econômica Federal sorteou na noite deste sá […]
    • Segunda aplicação do Enem traz questões sobre dengue e Aquarela do Brasil
      iG São PauloAlunos tiveram 4 horas e 30 minutos para responder questões das áreas de humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias Candidatos participam da segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 neste sábado Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil 03.12.2016O primeiro dia da segunda aplicação do Exame Nac […]
    • Porque conversa de Trump com presidente do Taiwan já gerou conflito diplomático
      BBCAtitude pode parecer corriqueira, mas quebra protocolo da política externa americana mantido desde 1979, quando os dois países romperam relações Equipe de Donald Trump disse que ele também ligou para parabenizar Tsai Ing-wen quando ela foi eleita em janeiroFoto: Facebook/ Donald Trump/ ReproduçãoDonald Trump ainda não assumiu seu posto na Casa Branca, mas […]
  • RSS UNICAMP

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS BBC Brasil

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Árabes na Península Ibérica

Posted by sala19cmi em quarta-feira, 12 setembro 2012

A Península Ibérica, correspondente ao futuro território de Portugal e Espanha, foi conquistada pelos árabes entre os anos de 711 — com a vitória do berbere Tarique ibn Ziyad, na batalha de Guadalete ou Guadibeca — e 713. Os invasores chamaram o novo espaço de al-Garb al-Andalus.

A dominação islâmica não teve a mesma duração, nem as mesmas repercussões, em todas as zonas. Foi fraca nas Beiras, a norte do rio Douro, principalmente na região onde viria a se constituir o Condado Portucalense. Também não provocou nenhuma mudança importante, embora aí se tenham fixado, em maior ou menor número, tribos muçulmanos, sobretudo, as de origem berbere.

O pequeno reino cristão das Astúrias — formado por Asturos, Cântabros e Hispano-Godos — conseguiu, em 754, expulsar definitivamente os muçulmanos para o sul do Douro. De fato, foi no sul de Portugal que o Islã deixou marcas profundas, comparáveis à contribuição da presença romana na estrutura do que, mais tarde, seria a civilização portuguesa.

Na Estremadura desenvolveram-se os centros urbanos de al-Usbuna (Lisboa) e Santarin (Santarém). No Baixo Alentejo, as cidades de Baja (Beja) e Martula (Mértola) e, no Algarve — onde a presença muçulmana se manteve por seis séculos — surgiram Silb (Silves) e Santa Mariya al-Harum (Faro). Os árabes — designação genérica de um conjunto de populações berberes, sírias, egípcias e outras — substituíram os antigos senhores visigodos. Mostraram-se, em geral, tolerantes com os usos e costumes locais, admitindo as práticas religiosas das populações submetidas e criando condições para os frutíferos contactos econômico e cultural que se estabeleceram entre cristãos e muçulmanos.

Os vestígios materiais da longa permanência muçulmana ficam aquém das expectativas, principalmente porque a política cristã de reconquista foi a de “terra arrasada”. Cada localidade retomada aos árabes era destruída e os objetos e construções queimados em fogueiras que ardiam durante dias. Mas restaram alguns elementos que atestam este período da vida portuguesa, principalmente nas muralhas e castelos, bem como no traçado de ruelas e becos de algumas cidades do sul do país. Não restaram grandes monumentos, fato que se explica pela situação periférica do território português em relação aos grandes centros culturais islâmicos do sul da península.

A igreja matriz de Mértola é a única estrutura em que se reconhecem os traços de uma mesquita. São testemunhos da ascendência árabe os terraços das casas algarvias, as artes decorativas, os azulejos, os ferros forjados e os objetos de luxo: tapetes, trabalhos de couro e em metal. Com a tradução de inúmeras obras científicas, desenvolveram-se a química, a medicina e a matemática, sendo de origem árabe o sistema de numeração ocidental. A influência árabe foi particularmente importante na vida rural, sendo determinante o desenvolvimento de técnicas de regadio a partir de usos peninsulares e romanos. Através da introdução de novas plantas — o limoeiro, a laranjeira azeda, a amendoeira, provavelmente o arroz, e do desenvolvimento da cultura da oliveira, da alfarrobeira e da plantação de grandes pomares (são famosos os figos e uvas do Algarve e as maçãs de Sintra) reforçaram a vocação agrícola da região mediterrânea.

A ocupação islâmica não provocou alterações na estrutura lingüística que se manteve latina, mas contribuiu com mais de 600 vocábulos, sobretudo substantivos referentes a vestuário, mobiliário, agricultura, instrumentos científicos e utensílios diversos.

As constantes lutas internas, além das cíclicas tentativas de fragmentação do estado islâmico peninsular, contribuíram para o avanço cristão que, lentamente, foi empurrando os muçulmanos para sul. A luta entre cristãos e muçulmanos arrastou-se, com avanços e recuos, ao longo de seis séculos, sendo o Algarves acrescentado ao território português em 1249, no reinado de Afonso III.

Os numerosos descendentes dos árabes que, após a Reconquista, permaneceram em Portugal, viviam nas mourarias, arrabaldes semi-rurais junto dos muros das cidades e vilas, das quais se conserva a memória, nos nomes e nas plantas de mais de vinte localidades, como Lisboa e muitas outras ao sul do Tejo.

FONTE: http://www.historiadomundo.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: