Domingos Jorge Velho

Desbravador brasileiro nascido na Vila de Parnaíba, Capitania de São Paulo, comandante da expedição que destruiu o quilombo dos Palmares e considerado um dos bandeirantes mais ativos do período de perseguição aos índios brasileiros, especialmente na região nordeste do país.

Filho de Francisco Jorge Velho e de Francisca Gonçalves de Camargo, tornou-se um dos maiores conhecidos bandeirantes da história colonial do Brasil.

Procedente da região de Taubaté e do rio das Velhas, instalou-se no arraial do Sobrado, onde estabeleceu uma fazenda para criar gado na extremidade ocidental do atual estado de Pernambuco, às margens do rio São Francisco, e tornou-se o primeiro desbravador do Piauí, onde chegou através da Bahia. Explorou (1671-1674) as serras de Dois Irmãos e Paulista e o rio Canindé, no atual estado de Piauí; a Chapada do Araripe, os rios Salgado e Icó, no atual estado do Ceará; o rios do Peixe, Formiga, Piranhas e Piancó, no atual estado da Paraíba, e regressou ao Rio São Francisco por Pernambuco.

Durante sua viagem, expulsou os índios pimenteiras de suas terras, correu com os índios cariris, icós e sucurus do Ceará e, na Paraíba, destroçou os índios calabaças e coremas. De volta a região (1676), fundou um arraial no Piancó logo destruído pelos índios cariris, que reconstruiu ao exterminá-los.

Conta-se que fixado na região do rio Piranhas (1680-1684), fundou uma fazenda agropecuária no vale do Piancó, afluente do rio Piranhas, e tinha a suas ordens mais de mil e trezentos índios e oitocentos brancos.

Na realidade foi um cruel mercenário encarregado de aprisionar índios no sertão nordestino, a soldo das autoridades ou dos criadores de gado do Nordeste, principalmente a serviço do senhor da Casa da Torre, Francisco Dias de Ávila, .

Mais tarde, a serviço de João da Cunha Souto Maior, governador de Pernambuco, preparou e liderou uma grande expedição para combater os negros do quilombo dos Palmares e, com a ajuda de Bernardo Vieira de MeloSebastião Dias, Matias Cardoso de Almeida e Cristóvão de Mendonça Arrais, derrotou os negros liderados por Zumbi(1694), a destruição do quilombo e a morte deste (1695).

Depois (1699), foi designado chefe da expedição organizada para combater a confederação dos cariris, levando missionários e tendo como lugares-tenentesAntônio de Albuquerque e Matias Cardoso de Albuquerque, que subjugou indígenas revoltados nos estados de Piauí, Ceará e Maranhão.

Descrito por alguns historiadores como o  Conquistador do Nordeste, pelos serviços prestados, recebeu a patente de mestre-de-campo e morreu em Piancó, cidade do alto sertão da Paraíba. Na história do Brasil há registros de um seu tio homônimo que também foi bandeirante, porém com atuação no sertão do Guairá, hoje região do Estado do Paraná.

FONTE: http://www.dec.ufcg.edu.br/

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s