Sala 19

O blog de História de Fabiana Scoleso

  • Calendário

    março 2012
    D S T Q Q S S
    « fev   abr »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031
  • Categorias

  • Twitter

  • Sala19 no Facebook

  • RSS Google News

    • Israel aprova construção de novas casas de colonos; Netanyahu conversa com Trump - Estado de Minas
      UOLIsrael aprova construção de novas casas de colonos; Netanyahu conversa com TrumpEstado de MinasIsrael relançou neste domingo a colonização, ao aprovar projetos de construção de centenas de casas em Jerusalém Oriental, horas antes de uma conversa por telefone entre Benjamin Netanyahu e Donald Trump, que convidou o premier israelense a ...Trump e Netanyahu […]
    • Valls e Hamon disputarão segundo turno das primárias socialistas na França - Globo.com
      Globo.comValls e Hamon disputarão segundo turno das primárias socialistas na FrançaGlobo.comCandidato da esquerda do partido surpreende e ultrapassa ex-premiê no primeiro turno da primária. Pesquisas indicam que nenhum dos dois é favorito na eleição presidencial. Facebook · Twitter ...Candidatos para 2º turno das primárias socialistas na França são definidos […]
    • Acidente com Teori Zavascki: Avião que caiu em Paraty é retirado do mar - Globo.com
      Globo.comAcidente com Teori Zavascki: Avião que caiu em Paraty é retirado do marGlobo.comO avião que caiu na quinta-feira (19) com Teori Zavascki e outras quatro pessoas em Paraty foi retirado do mar na noite deste domingo (22). A balsa com um guindaste para içar a aeronave havia chegado ao local do acidente por volta das 18h e a remoção ...Destroços do aviã […]
    • Número de mortos em descarrilamento de trem na Índia passa de 30 - Globo.com
      Globo.comNúmero de mortos em descarrilamento de trem na Índia passa de 30Globo.comSocorristas ainda tentam encontrar sobreviventes neste domingo (22). Acidente aconteceu dois meses depois de um descarrilamento similar deixar 146 mortos. Facebook · Twitter. Agence France-Presse. Por France Presse. 22/01/2017 09h28 Atualizado há ...Acidente de trem deixa pelo […]
  • RSS UOL Economia

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS Último Segundo – iG

    • Avião que levava Teori e mais quatro pessoas é retirado do mar em Paraty (RJ)
      iG São PauloAeronave caiu na última quinta-feira (19) e matou todos que estavam a bordo; destroços serão levados para perícia no aeroporto do Galeão, no Rio Trabalho de retirada dos destroços será feito por empresa contratada pela seguradora do avião acidentadoFoto: Reprodução/GlobonewsFoi iniciada neste domingo (22) a remoção dos destroços do avião que caiu […]
    • Polícia do Rio Grande do Norte prende 17 por envolvimento em rebeliões
      iG São PauloTambém foram presos suspeitos de participação em ataques fora do presídio de Alcaçuz; outros dois adolescentes foram apreendidos no Estado Exército foi enviado ao Rio Grande do Norte para reforçar o trabalho da Polícia Militar no EstadoFoto: Divulgação/Governo do Rio Grande do NorteA Polícia Civil do Rio Grande do Norte afirma já ter prendido 17 […]
    • Dono de avião que caiu com Teori era sócio de André Esteves, do BTG Pactual
      iG São PauloMinistro do Supremo que morreu no acidente aéreo havia revogado a prisão domiciliar do banqueiro no ano passado; queda da aeronave matou outros 4 Carlos Alberto Fernandes Filgueiras era sócio Carlos Daniel Rizzo da Fonseca%2C que integra quadro societário do BTGFoto: Reprodução/JucespDono do avião que caiu na última quinta-feira (19) com o minist […]
    • "Por que essas pessoas não votaram?", ironiza Trump sobre Marcha das Mulheres
      iG São PauloPresidente disse que celebridades "fazem mal à causa"; segundo as organizadoras, cerca de 2,5 milhões de pessoas participaram dos atos "As celebridades fazem mal à causa", escreveu Trump em seu perfil pessoal no TwitterFoto: Facebook/ Donald J. Trump/ ReproduçãoEm resposta às pessoas que foram às ruas neste sábado (21) para pr […]
  • RSS UNICAMP

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS BBC Brasil

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

História do Egito – síntese

Posted by sala19cmi em quinta-feira, 1 março 2012

A Civilização egípcia é datada do ano de 4.000 a.C., permanecendo  estável por 35 séculos, apesar de inúmeras invasões das quais foi vítima.
Em 1822, o francês Jean François Champollion decifrou a antiga escrita egípcia tornando possível o acesso direto às fontes de informação egípcias. Até então, o conhecimento sobre o Egito era obtido através de historiadores da Antiguidade greco-romana.

 

O MEIO AMBIENTE E SEUS IMPACTOS

Localizado no nordeste africano de clima semi-árido e chuvas escassas ao longo do ano, o vale do rio Nilo é um oásis em meio a uma região desértica. Durante a época das cheias, o rio depositava em suas margens uma lama fértil na qual durante a vazante eram cultivados cereais e hortaliças.
O rio Nilo é essencial para a sobrevivência do Egito. A interação entre a ação humana e o meio ambiente é evidente na história da civilização egípcia, pois graças à abundância de suas águas era possível irrigar as margens durante o período das cheias. A necessidade da construção de canais para irrigação e de barragens para armazenar água próximo às plantações foi responsável pelo aparecimento do Estado centralizado. Nilo > agricultura de regadio > construção de obras de irrigação que exigiam forte centralização do poder > monarquia teocrática

EVOLUÇÃO HISTÓRICA

A história política do Egito Antigo é tradicionalmente dividida em duas épocas:

Pré-Dinástica (até 3200 a.C.): ausência de centralização política.

População organizada em nomos (comunidades primitivas) independentes da autoridade central que era chefiada pelos nomarcas. A unificação dos nomos se deu em meados do ano 3000 a.C., período em que se consolidaram a economia agrícola, a escrita e a técnica de trabalho com metais como cobre e ouro.

Dois reinos Alto Egito (sul) e Baixo Egito (norte) surgiram por volta de 3500 a.C. em consequência da necessidade de se unir esforços para a construção de obras hidráulicas.

Dinástica:

Forte centralização política Menés, rei do Alto Egito, subjugou em 3200 a.C. o Baixo Egito. Promoveu a unificação política das duas terras sob uma monarquia centralizada na imagem do faraó, dando início ao Antigo Império, Menés tornou-se o primeiro faraó. Os nomarcas passaram a ser “governadores” subordinados à autoridade faraônica.

PERIODIZAÇÃO HISTÓRICA

A Época Dinástica é dividida em três períodos:

Antigo Império (3200 a.C. – 2300 a.C.)

Capital: Mênfis foi inventada a escrita hieroglífica.
Construção das grandes pirâmides de Gizé, entre as quais as mais conhecidas são as de Quéops, Quéfrem e Miquerinos. Esses monumentos, feitos com blocos de pedras sólidas, serviam de túmulos para os faraós. Tais construções exigiam avançadas técnicas de engenharia e grande quantidade de mão-de-obra.
Invasão dos povos nômades: fragmentação do poder Médio Império (c. 2040-1580 a.C.)
Durante 200 anos o Antigo Egito foi palco de guerras internas marcadas pelo confronto entre o poder central do faraó e os governantes locais – nomarcas. A partir de 2040 a.C., uma dinastia poderosa (a 12ª) passou a governar o País iniciando o período mais glorioso do Antigo Egito: o Médio Império. Nesse período:

  • Capital: Tebas
  • Poder político: o faraó dividia o trono com seu filho para garantir a sucessão ainda em vida
  • Poder central controlava rigorosamente todo o país
  • Estabilidade interna coincidiu com a expansão territorial
  • Recenseamento da população, das cabeças de gado e de terras aráveis visando a fixação de impostos
  • Dinamismo econômico
Médio Império (2160 – 1730 a.C.)

Representantes da nobreza de Tebas conseguiram reunir forças para acabar com as revoltas que abalavam o Egito. Essa cidade acabou tornando-se a capital do Império Egípcio. Dela surgiram novos faraós que governaram o império nos séculos seguintes. Durante o Médio Império, o Egito atingiu certa estabilidade política, crescimento econômico e florescimento artístico. Isso impulsionou a ampliação das fronteiras, levando a conquista militar da Núbia.

Por volta de 1750 a.C., o Egito foi invadido pelos hicsos (povo nômade vindo do Oriente Médio), que se mostraram superiores aos egípcios em termos de técnicas militares.
Dessa forma os invasores conseguiram dominar a região norte do Egito e estabelecer a capital em Ávaris. Assim permaneceram por, aproximadamente, 170 anos.

 

Os Hicsos

Rebeliões de camponeses e escravos enfraqueceram a autoridade central no final do Médio Império, permitindo aos hicsos – um povo de origem caucasiana com grande poderio bélico que havia se estabelecido no Delta do Nilo – conquistar todo o Egito (c.1700 a.c.). Os hicsos conquistaram e controlaram o Egito até 1580 a.C. quando o chefe militar de Tebas derrotou-os. Iniciou-se, então, um novo período na história do Egito Antigo, que se tornou conhecido como Novo Império.

As contribuições dos hicsos foram:

  • fundição em bronze
  • uso de cavalos
  • carros de guerra
  • tear vertical

Novo Império – (c. 1580- 525 a.C.)

O Egito expulsou os hicsos conquistando, em seguida, a Síria e a Palestina.

Capital: Tebas.

  • Dinastia governante descendente de militares.
  • Aumento do poder dos sacerdotes e do prestígio social de militares e burocratas.
  • Militarismo e expansionismo, especialmente sob o reinado dos faraós Tutmés e Ramsés.
  • Conquista da Síria, Fenícia, Palestina, Núbia, Mesopotâmia, Chipre, Creta e ilhas do Mar Egeu.
  • Afluxo de riqueza e escravos e aumento da atividade comercial controlada pelo Estado.
  • Amenófis IV promoveu uma reforma religiosa para diminuir a autoridade dos sacerdotes e fortalecer seu poder implantando o monoteísmo (acrença numa única divindade) durante seu reino.
  • Invasões dos “povos do mar” (ilhas do Mediterrâneo) e tribos nômades da Líbia consequente perda dos territórios asiáticos.
  • Invasão dos persas liderados por Cambises.
  • Fim da independência política.

Com o fim de sua independência política o Egito foi conquistado em 343 a.C. pelos persas. Em 332 a.C. passou a integrar o Império Macedônio e, a partir de 30 a.C., o Império Romano.

ASPECTOS ECONÔMICOS

Base econômica:

  • Agricultura de regadio com cultivo de cereais (trigo, cevada, algodão, papiro, linho) favorecida pelas obras de irrigação.
  • Agricultura extensiva com um alto nível de organização social e política.
  • Outras atividades econômicas: criação de animais (pastoreio), artesanato e comércio.

ASPECTOS POLÍTICOS

Monarquia teocrática:

  • O governante (faraó) era soberano hereditário, absoluto e considerado uma encarnação divina. Era auxiliado pela burocracia estatal nos negócios de Estado.
  • Havia uma forte centralização do poder com anulação dos poderes locais devido à necessidade de conjugação de esforços para as grandes construções.
  • O governo era proprietário das terras e cobrava impostos das comunidades camponesas (servidão coletiva). Os impostos podiam ser pagos via trabalho gratuito nas obras públicas ou com parte da produção.

ASPECTOS SOCIAIS

Predomínio das sociedades estamentais (compostas por categorias sociais, cada uma possuía sua função e seu lugar na sociedade).

  • O Egito possuía uma estrutura social estática e hierárquica vinculada às atividades econômicas. A posição do indivíduo na sociedade era determinada pela hereditariedade (o nascimento determina a posição social do indivíduo).
  • A estrutura da sociedade egípcia pode ser comparada a uma pirâmide. No vértice o faraó, em seguida a alta burocracia (altos funcionários, sacerdotes e altos militares) e, na base, os trabalhadores em geral .
  • A sociedade era dividida nas seguintes categorias sociais:
  • O faraó e sua família – O faraó era a autoridade suprema em todas as áreas, sendo responsável por todos os aspectos da vida no Antigo Egito. Controlava as obras de irrigação, a religião, os exércitos, promulgação e cumprimento das leis e o comércio. Na época de carestia era responsabilidade do faraó alimentar a população.
  • aristocracia (nobreza e sacerdotes). A nobreza ajudava o faraó a governar.
  • grupos intermediários (militares, burocratas, comerciantes e artesãos)
  • camponeses
  • escravo

Os escribas, que dominavam a arte da escrita (hieróglifos), governantes e sacerdotes formavam um grupo social distinto no Egito.

ASPECTOS CULTURAIS

  • A cultura era privilégio das altas camadas.
  • Destaque para engenharia e arquitetura (grandes obras de irrigação, templos, palácios).
  • Desenvolvimento de técnicas de irrigação e construção de barcos.
  • Desenvolvimento da técnica de mumificação de corpos.
  • Conhecimento da anatomia humana.
  • Avanços na Medicina.
  • Escrita pictográfica (hieróglifos).
  • Calendário lunar.
  • Avanços na Astronomia e na Matemática, tendo como finalidade a previsão de cheias e vazantes.
  • Desenvolvimento do sistema decimal. Mesmo sem conhecer o zero, os egípcios criaram os fundamentos da Geometria e do Cálculo.
  • Engenharia e Artes.
  •  Jogavam xadrez.

ASPECTOS RELIGIOSOS

  • Politeísmo
  • Culto ao deus Sol (Amom – Rá)
  • As divindades são representadas com formas humanas (politeísmo antropomórfico), com corpo de animal ou só com a cabeça de um bicho (politeísmo antropozoomórfico)
  • Crença na vida após a morte (Tribunal de Osíris), daí a necessidade de preservar o cadáver, desenvolvimento de técnicas de mumificação, aprimoramento de conhecimentos médico-anatômicos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: