GUERRA DE CANUDOS

Guerra de Canudos: Antônio Conselheiro – um peregrino do Sertão

* Antônio Vicente Maciel: nasceu provavelmente em 1830, em Quixeranobim, no Ceará.

* Na infância teve aulas de português, latim e francês, estudo necessário para a formação de padre;

* Antônio: trabalhou como comerciante, professor, advogado dos pobres e empregado de lojas comerciais;

1871: iniciou sua peregrinação pelo Sertão – usando camisola azul, barbas e cabelos longos, percorreu o interior de Pernambuco, da Bahia e de Sergipe pregando mensagens religiosas e aconselhando os sertanejos.

* Antônio: construía e reformava igrejas e cemitérios, coordenava tarefas coletivas de construção de casas, açudes e colheitas agrícolas;

* A sua influência crescia dia-a-dia: tornou-se Antônio Conselheiro;

* Igreja X Religiosidade Popular: a Igreja oficial combatia as crendices populares; também combatia os beatos;

* A formação de Canudos:

* 1893: Antônio Conselheiro e seu grupo decidiram fundar um povoado – Belo Monte;

* Lá, eles organizaram a base de sua economia (comunitária) – todos deviam trabalhar para o sustento local – várias pessoas viviam lá (professores, artesãos, enfermeiros);

* A comunidade religiosa de Canudos era independente da Igreja Católica;

* Canudos tinha polícia e presídios próprios;

* Guerra Contra Canudos: Canudos tornou-se uma ameaça ao poder dos coronéis e da Igreja Católica;

* O Governo da Bahia, apoiado pelos latifundiários , aguardava o momento certo para invadir o arraial;

* Surgiram boatos de que os integrantes do arraial queriam atacar a cidade de Juazeiro;

* 1896: o governo baiano e o federal iniciaram a campanha militar contra Canudos;

* As três primeiras expedições, apesar da superioridade bélica, foram derrotadas pelas forças conselheiristas;

* Antônio Conselheiro foi acusado de Monarquista, louco e inimigo da República;

* A Quarta Expedição: reuniu quase 10 mil soldados, armados de fuzis e canhões modernos;

* Foram quatro meses de combate: destruição completa do arraial – 5 de outubro de 1897;

* Prisioneiros foram degolados: seus cadáveres eram empilhados e queimados;

* As crianças sofriam com inanição e apresentavam ferimentos devido ao longo conflito;

* Muitas foram dadas aos participantes da campanha militar; outras foram distribuídas entre os comerciantes locais;

* Euclides da Cunha: autor de “Os Sertões”.

Os sertões

Anúncios

2 comentários em “GUERRA DE CANUDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s