AULA – Invasões Holandesas

O ATAQUE AO BRASIL NÃO FOI UMA AVENTURA DE CORSÁRIOS, NEM UMA INICIATIVA CASUAL NEM TAMPOUCO UMA SIMPLES TENTATIVA DE ANEXAR TERRITÓRIOS. FOI, ISSO SIM, UM EMPREENDIMENTO FRIAMENTE PLANEJADO E EXECUTADO PELOS GRANDES GRUPOS COMERCIAIS DA HOLANDA, VISANDO A APODERAR-SE DAS FONTES PRODUTORAS DE AÇÚCAR.

PRIMEIRA INVASÃO HOLANDESA – BAHIA 1624-1625
 O local escolhido pela Companhia para sua primeira incursão foi a Capitania da Bahia (Salvador) – local conhecido pelos Holandeses e com um porto de fácil acesso para um ataque marítimo;
 Frota holandesa = comandada por Jacob Willekens e Johan van Dort, atacou a cidade em Maio de 1624;
 Os portugueses, sob o comando de Matias de Albuquerque, organizaram uma guerrilha contra os holandeses;
 Espanha e Portugal enviaram uma poderosa frota que bloqueou a baía de Todos os Santos. Cercados por terra e mar, os holandeses se renderam em 1625;
 Em 1627, uma esquadra da Companhia das Índias, comandada por Piet Heyn, aprisionou uma frota espanhola carregada de ouro e prata, obtendo um lucro três vezes maior do que todo o capital da companhia. Com esse recurso, preparou-se o segundo ataque ao Brasil.

SEGUNDA INVASÃO HOLANDESA PERNAMBUCO 1630-1654
 Pernambuco = além de ser um grande centro produtor de açúcar, era menos aparelhada militarmente que a da Bahia;
 Pernambuco ainda era uma capitania particular, pertencentes aos descendentes de Duarte Coelho (primeiro donatário);

 Segunda Insavão = 3 fases:
 Fase inicial – de conquista rápida;
 Fase média – de acomodação;
 Fase final – de declínio e expulsão;

 Essas fases referem-se não apenas aos sucessos ou insucessos militares dos holandeses, mas também ao comportamento da população colonial, em particular, em seu relacionamento com os invasores.

FASE DA CONQUISTA RÁPIDA
 1630 = UMA PODEROSA ESQUADRA HOLANDESA ATACOU OLINDA E RECIFE, CONQUISTANDO-AS EM POUCOS DIAS;
 1634 = a resistência luso-brasileira começou a esmorecer, e a sorte dos combates inverteu-se rapidamente. Os holandeses alcançaram vitória após vitória e, no ano seguinte, Matias de Albuquerque foi obrigado a bater em retirada.
 Os invasores conseguiram ocupar as capitanias de Pernambuco, Itamaracá, Paraíba e Rio Grande do Norte.

FASE DA ACOMODAÇÃO = adesão dos senhores de engenho à causa holandesa;
 Aceitaram a dominação dos invasores, recebendo em troca a garantia de manutenção de suas propriedades e privilégios;
 Senhores = receberam auxílio financeiro da Companhia, por meio de empréstimos, iniciando, assim, o processo de dependência econômica da classe dominante colonial em relação aos holandeses;
 A resistência aos invasores acabou = eram os senhores de engenho que forneciam armas, dinheiro e alimentos para que as tropas resistissem aos invasores. Quando os senhores aceitaram a dominação, deixaram de alimentar a resistência;
 1635-1645 – fase de acomodação – foi o melhor período da Companhia das Índias Ocidentais no Brasil = a produção de açúcar se expandiu, conquistaram-se zonas fornecedoras de escravos em Angola e na Guiné, e, particularmente durante o governo de Maurício de Nassau (1637-1644) – foram adotadas diversas medidas de caráter político-administrativo, visando consolidar a acomodação entre holandeses e luso-brasileiros;
 Por trás do desenvolvimento, problemas!
 Parcelas consideráveis da população não se submetiam ao domínio estrangeiro – os holandeses eram calvinistas, o que ocasionava desavenças entre invasores e invadidos;
 Política comercial da Companhia encareceu a maioria do gêneros alimentícios consumidos pela população;
 Sua forma de administrar o Brasil, aos poucos, foi causando descontentamentos;
 Durante o governo de Nassau os déficits eram constantes;
 As boas relações entre senhores de engenho e a Companhia começaram a se deteriorar – iniciou-se, assim a última fase do domínio holandês – declínio e expulsão.

DECLÍNIO E EXPULSÃO
 1640 = Uma revolução se iniciou em Portugal. O Duque de Bragança, proclamado Rei com o título de D. João IV, preparou o país para a Guerra;
 D. João procurou aliados porque a situação econômica e militar de Portugal eram péssimas;
 O governo Português fez um acordo com os Holandeses – troca de apoio militar contra os castelhanos;
 Portugal fazia um jogo duplo: prometia aos Holandeses a soberania sobre o nordeste brasileiro;
 Insurreição Maranhense em 1642 e a Insurreição de Pernambuco em 1645;
 1645 = esgotava-se o prazo para o pagamento dos empréstimos que os holandeses haviam feito aos latifundiários para que reconstruíssem seus engenhos – os senhores não conseguiram pagar suas dívidas;
 Sem recursos, muitos senhores foram obrigados a entregar seus engenhos e suas propriedades, e vários outros tiveram que enfrentar a prisão.
 A classe dominante aderiu, em sua maioria, aos revoltosos, que se viram assim fortalecidos;
 O crescente enfraquecimento holandês foi agravado pela derrota da Holanda na Guerra contra a Inglaterra, em 1652;
 Portugueses e brasileiros aumentaram então a pressão militar e, em 1654, chegaram à vitória, expulsando definitivamente os holandeses do Brasil;

CONSEQUÊNCIAS DAS INVASÕES HOLANDESAS:
 1-) Crise econômica açucareira;
 2-) Choque de interesses entre a elite colonial e a metrópole;
 3-) O crescimento da influência Inglesa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s