AULA – A Proclamação da República

*Idéia que toma maior expressão na segunda metade do século XIX;
*A expansão da lavoura cafeeira e a formação de uma rica camada de fazendeiros no Sudeste foram os fatores que deram mais visibilidade ao Projeto Republicano;
*Cafeicultores do Oeste Paulista: passaram a defender uma nova organização política para o Brasil;

• Esses cafeicultores desejavam maior autonomia das províncias e um maior controle da política por esta nova camada da sociedade;
Partido Republicano Paulista (PRP) – fundado em 1873 e formado basicamente de representantes dos cafeicultores da província de São Paulo;
República: tinha apoio de outras camadas sociais: profissionais liberais, da ala mais jovem do exército que não gostavam da centralização política da monarquia;
• Existiam divergências entre os Republicanos: uns queriam uma mudança pacífica outros uma grande mobilização social para acabar com a monarquia.
• 1880 – Campanha republicana conseguiu mais adeptos;
• 1888 – Cafeicultores insatisfeitos com a abolição da escravatura abraçaram a República em protesto contra a aprovação da Lei Áurea;
Questão Militar: durante o governo de D. Pedro II o Exército brasileiro ocupou um lugar marginal na política brasileira – soldados eram mal pagos, havia uma rígida disciplina, as promoções eram lentas e os filhos das elites se desencorajavam em seguir carreira militar;
Guerra do Paraguai: o exército saiu fortalecido – muitos oficiais queriam desempenhar uma papel político na sociedade brasileira;
• 1880: houve uma série de atritos entre o governo e os oficiais do exército;
• Desta maneira muitos elementos do exército viram na República uma possibilidade de fazer parte da vida política do país;
• 15 de novembro de 1889 – líderes de movimentos se encontravam para acelerar a queda da monarquia: Benjamin Constant, Aristides Lobo, Quintino Bocaiúva e Lopes Trovão;
Marechal Deodoro da Fonseca: precisavam convencer esta pessoa a participar do movimento – queriam que ele chefiasse o movimento;
• Na manhã do dia 15 de novembro Deodoro marchou com as tropas para o Ministério da Guerra. Sob pressão o governo monárquico renunciou;
• A imensa maioria da população nem sabia o que estava acontecendo
A República das Espadas (1889-1894): fase da república brasileira liderada por presidentes militares;
1891: Primeira Constituição Republicana;
• Organização dos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário;
• Estabeleceu o voto universal para os cidadão maiores de 21 anos e alfabetizados – os mendigos e os praças não podiam votar; as mulheres não tinham o direito de voto;
• A lei não determinava se o voto deveria ser secreto;
• As províncias se transformaram em Estados: podiam ter um exército próprio e pedir empréstimos no exterior sem consultar o governo federal;
• A Igreja se separou do Estado: deixou de existir uma religião oficial no Brasil – instituiu-se o casamento civil e liberdade de culto para todas as crenças religiosas;
• Educação: leiga;
• Extinguiu-se a Pena de Morte;
• De acordo com a nova Lei,o Brasil passou a se chamar República dos Estados Unidos do Brasil;
• Primeiro Presidente do Brasil: Marechal Deodoro da Fonseca – em 1891 ele deixou o governo.
• Em seu lugar assumiu o vice: Marechal Floriano Peixoto;
• Floriano: governou apoiado numa aliança com o PRP;
• Algumas rebeliões ocorreram neste período: Revolução Federalista, no Rio Grande do Sul, e a Revolta da Armada, no Rio de Janeiro;
• As revoltas foram reprimidas, os militares se afastaram da cena política brasileira e os civis se prepararam para assumir o poder;
• O poder político passava para as mãos dos cafeicultores;

República das Oligarquias (1894-1930):

• Prudente de Moraes foi o primeiro presidente civil;
Oligarquia: termo de origem grega que significa governo exercido por poucas pessoas, pertencentes a um grupo social dominante ou a uma família poderosa;
Campos Sales – Sucessor de Prudente de Moraes;
• Campos Sales – criador do arranjo político conhecido como Política dos Governadores;
• Política dos Governadores: o objetivo era evitar choques políticos entre os Estados e a União;

o os grupos dominantes em cada estado apoiariam o governo central;
o O governo central, em troca, não reconheceria a vitória dos candidatos à Câmara ligados à oposição;
o Comissão de Verificação dos Poderes: encarregada de examinar as atas das eleições, fazendo a “degola” dos candidatos da oposição que tivessem vencido;

• A política dos governadores fortaleceu o poder local, exercido pelos chamados Coronéis;
Coronelismo: controlavam os eleitores em seu município de influência; grande proprietário de terras – voto era aberto: a população ficava sujeita às pressões exercidas por estas pessoas (troca de favores);
• Os eleitores acabavam votando em candidatos indicados pelos coronéis;
• Política do Café-com-Leite: os cargos políticos federais – normalmente dominados pelas oligarquias paulista, mineira e gaúcha;
• Isso demonstrava a força que estes três estados tinham na Primeira República;
São Paulo e Minas Gerais: economicamente mais poderosos – impunham uma política que favoreciam seus interesses;
• A hegemonia de paulistas e mineiros ficou conhecida como POLÍTICA DO CAFÉ COM LEITE.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s