Sala 19

O blog de História de Fabiana Scoleso

STONEHENGE – O misterioso monumento de pedras da Grã-Bretanha

Posted by sala19cmi em quinta-feira, 4 agosto 2011

Localizado nas colinas de Salisbury inúmeros visitantes de Stonehenge consideram este monumento uma maravilha da antiguidade e um símbolo de grandes mistérios. Stonehenge foi construída como um templo. No princípio se tratava simplesmente de um fosso e um terreno plano com formas circulares. Sua primeira construção remonta os 5000 a.C., período pré-histórico conhecido como neolítico ou Nova Idade da Pedra.
Em 2500 a.C., outras estruturas de madeira que foram construídas desapareceram e começaram a surgir as primeiras pedras. As enormes pedras de Sarsen eram provenientes do norte de Wiltshire e as pedras azuis menores do oeste de Gales. A continuidade desta construção se deu nos 800 anos seguintes e as modificações se desenrolaram até o período conhecido como Idade do Bronze quando começaram a fabricar as primeiras ferramentas e armas de metal. Stonehenge se converteu no templo mais importante da Grã-Bretanha, com seus fossos e pedras erguidas e dispostas em alinhamento completo que marcam o movimento do sol e as estações do ano. Stonhehenge era simplesmente parte de um conjunto de monumentos excepcionais da antiguidade.
Centenas de túmulos se agrupavam em cima das colinas circundantes, assim como os templos menores e outros locais de cerimônias erguidos em áreas próximas. Stonehenge e estas outras construções da antiguidade formam uma das mais esplêndidas paisagens arqueológicas e foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.
Stonehenge inspirou numerosos estudiosos e interpretações ao longo dos séculos. Os escritores medievais recorriam a magia para explicar sua construção. Estudiosos da antiguidade, como William Stukeley no começo do século XVIII, opinaram (erroneamente) que foi construído pelos druidas. A arqueologia se constitui na principal esperança para dar respostas a algumas das mais importantes perguntas sobre Stonehenge: como e quando se construiu, quem construiu e (a pergunta mais difícil) por que construiu.
Não obstante, incluindo todas as provas que a arqueologia e a ciência moderna podem aportar, não é possível dar respostas a todas as interrogações. Stonehenge sempre resguardará alguns de seus segredos.

LOCALIZAÇÃO

Stonehenge está situado em um triângulo de terrenos limitados nos dois lados por estradas bastante transitadas. Ao sul se encontra a A303, a artéria principal entre Londres e o sudoeste da Inglaterra. Ao norte transcorre a A344 que passa bem ao lado de Stonehenge e separa o templo principal da paisagem que a rodeia. O acesso atual para as pedras, hoje, se realiza por meio de um túnel que passa por debaixo da A344. A partir daqui, os visitantes seguem uma rota que traça um círculo ao redor do monumento. Este caminho cruza o fosso e os aterros exteriores levando a uma curva para completar o circuito. O monumento permite ao visitante completar todas as partes que subsistem do monumento na superfície.
Os elementos mais visíveis de Stonehenge são as próprias pedras. O grupo de pedras centrais tem uma aparência desordenada, porém suas pedras estiveram uma vez dispostas em uma série de estruturas circulares e em forma de ferradura. As pedras que se encontram em uma posição isolada perto da borda inferior do aterro e a entrada do recinto eram mais numerosas no passado, porém parte delas desapareceram.
Muitas estruturas foram reveladas na época das escavações. Dentre elas estruturas de terra e pedra com perceptíveis restos de madeira.

DATAÇÃO DE STONEHENGE

Todos os seres vivos contém carbono, incluindo uma forma radioativa natural de carbono. Quando algo morre o carbono que contém se decompõe gradualmente com o passar do tempo. A datação por radiocarbono mede a quantidade de carbono radioativo que persiste em uma mostra arqueológica. Quando comparado com o conteúdo de radiocarbono em anéis de árvore de idade conhecida, é possível calcular datas precisas para as amostras arqueológicas.
Stonehenge não foi possível delimitar as datas e todas as estruturas individuais, mas obtiveram datas de radiocarbono para os chifres de cervos usados como picaretas para cavar o fosso e por inúmeros ossos de animais encontrados no fundo do fosso.
As amostras demonstraram, com 95% de probabilidade, que a primeira fase do monumento se construiu entre 3000 e 2920 a.C., e que os ossos dos animais se remontavam a várias centenas de anos antes desta data. Outras amostras de carbono nesta localidade proporcionaram datas para a configuração inicial das pedras de sarsen (entre 2600 e 2200 a.C.) e para a configuração final das pedras azuis (entre 2200 e 2000 a. C.)

AS PEDRAS

As pedras maiores são denominadas de Sarsen. Algumas chegam a ter um peso superior a 40 toneladas. O sarsen é uma classe de pedras de arenito muito duras. Se podem encontrar rochas pequenas deste tipo nos arredores de Stonehenge. Porém a fonte mais próxima de pedras de sarsen de grande tamanho se encontram em Marlborough Downs, mais de 30 quilómetros ao norte de Stonehenge.
As pedras menores são denominadas de “pedras azuis” e constituem uma gama de diferentes tipos de rochas. São originárias das colinas de Preseli no oeste do país de Gales, a mais de 240 quilómetros de distância de Stonehenge. Não existe dúvida alguma quanto a sua origem: a composição mineral das pedras de Stonehenge se ajusta exatamente as amostras tomadas em Preseli.

POR QUE STONEHENGE FOI CONSTRUÍDA?

Quando se começou a construir Stonehenge perto do ano 3000 a.C., os povos da Grã Bretanha viviam em comunidades dispersas, cultivavam cereais como a cevada e o trigo e criavam animais para obter carne, leite, lã e peles. Contudo esses povos contavam com uma estrutura social bem organizada, já que a construção do primeiro fosso e a colocação de estacas só poderiam ser feitas com a cooperação de amplos grupos de pessoas.
Para estas pessoas que inicialmente construíram Stonehenge, o iverno representava uma época de incertezas e de medo: meses de escuridão com dias cada vez mais curtos, temperaturas cada vez mais baixas e alimentos cada vez mais escassos. Provavelmente perceberam que a luz do sol e o calor faziam crescer os produtos cultivados e assim, permitia alimentar, também, os animais. A luz era um símbolo de vida. Talvez por esta razão Stonehenge foi construída. Não para marcar o tempo do dia mais longo e sim, do dia mais curto: um ponto de inflexão que dá início a um novo ciclo do ano.
A medida que Stonehenge cresceu de tamanho e complexidade, a partir de aproximadamente 2500 a.C.), a necessidade de maior cooperação surgiu. Movimentar uma pedra de sarsen requer aproximadamente uma equipe de 200 pessoas. As pedras azuis eram muito menores, porém foram trazidas do país de Gales, muito mais distante. O transporte deve ter necessitado de um grande nível de planejamento e cooperação.
Durante esta época as atividades agrícolas provavelmente se intensificaram. Pouco depois se introduziu na Grã-Bretanha a arte da metalurgia e assim surgiu a possibilidade de obter riquezas e poder. Os objetos de bronze, ouro e âmbar que foram encontrados nos túmulos funerários ao redor de Stonehenge demonstram o avanço e esse novo estágio que os povos desta localidade atingiram.
Embora muitos estejam seguros que Stonehenge foi construído como tempo ao sol e para compreender as mudanças nas estações, alinhado com grande precisão para marcar os solstícios de verão e inverno, não é possível adivinhar que cerimônias eram realizadas em ocasiões especiais. Este é um dos mistérios que Stonehenge preserva e que a arqueologia ainda não pode dar uma resposta.

OS DUIDAS

Ainda existe a crença generalizada de que os druidas construíram Stonehenge, porém não é bem assim. Os druidas de hoje em dia são uma reinvenção do século XIX, embora na antiguidade existissem verdadeiros druidas: sacerdotes que tiveram seu apogeu na Idade do Ferro, nos séculos imediatamente anteriores à ocupação romana na Grã-Bretanha no ano de 43 a.C.
A associação entre Stonehenge e os Druidas surgiu na raiz dos escritos de estudiosos da antiguidade provavelmente dos séculos XVII e XVIII, onde figura a reputação de William Stukeley (1687-1765).
Stukeley era fascinado por Stonehenge e deduziu corretamente que não havia sido construída pelos romanos ou dinamarqueses, mas sim pelos povos que habitavam a Grã-Bretanha antes da chegada dos romanos. Também reconheceu que se tratava de um templo. Os templos requerem sacerdotes e os únicos sacerdotes da antiguidade de que Stukeley tinha conhecimento eram os druidas que são descritos nas anotações de autores romanos. A teoria de Stukeley sobre a construção de Stonehenge pelos druidas era razoável, porém errônea. Na realidade, os druidas não apareceram por lá senão um milênio depois da construção de Stonehenge.

Fabiana Scoleso

About these ads

2 Respostas to “STONEHENGE – O misterioso monumento de pedras da Grã-Bretanha”

  1. Parabéns pelo blog, ele é muito interessante, voltarei mais vezes!

  2. sala19cmi said

    Muito obrigada pela mensagem! Obrigada por visitar o blog. Esperamos que goste das futuras novidades. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: